O Turismo Acessível: Um Estudo Exploratório e Comparativo entre os principais Atrativos Turísticos, Hotéis, Bares e Restaurantes de Brasília e Lisboa

O Turismo Acessível: Um Estudo Exploratório e Comparativo entre os principais Atrativos Turísticos, Hotéis, Bares e Restaurantes de Brasília e Lisboa

Grupo de investigadores do CI-ISCE a colaborar com o projeto: Ana Marques; Ana Afonso; Nuno Abranja.


Ao abrigo do protocolo entre o Instituto Superior de Ciências Educativas e a Universidade de Brasília, o presente projeto visa realizar um estudo exploratório e comparativo dos principais atrativos turísticos, hotéis, bares e restaurantes de Brasília, no intuito de conhecer os seus níveis de acessibilidade para receber diversos públicos, entre esses as Pessoas com Deficiência ou Mobilidade Reduzida [PDMR].

Numa 1ª fase é  realizado um levantamento teórico da temática, com ênfase no esclarecimento do termo PDMR, com base na legislação vigente de ambos os países. É discutida a vertente do turismo voltada para esse segmento: o turismo acessível/turismo para todos. Procurar-se-á num segundo momento identificar as características, desejos e as necessidades das PDMR da capital deferal, realizando um estudo comparativo do perfil dessas pessoas nos países foco de estudo. Num terceiro momento elaborar-se-á um roteiro de entrevista e observação in loco com o objetivo de verificar como os mesmos estão adaptados. A pesquisa caracteriza-se como exploratória e descritiva, incluindo uma abordagem qualitativa.

De acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU), existem cerca de 500 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência. Já no Brasil, segundo dados do IBGE, em 2010 aproximadamente 45,6 milhões de pessoas, ou 23,9% da população total, apresentaram algum tipo de incapacidade ou deficiência. Um crescimento respeitável em relação ao último censo demográfico, realizado em 2000, quando 24,6 milhões de pessoas, ou 14,5% da população total, assinalaram algum tipo de deficiência (IBGE, 2011).

Apesar do número expressivo, acredita-se que essas pessoas ainda se encontram, na sua grande maioria, à margem da sociedade principalmente nos países em desenvolvimento, seja devido à falta de acesso aos estabelecimentos, seja pela falta de informação dos estabelecimentos sobre como proceder à sua adaptação para receber tal público. Procurar-se-á ainda diferenciar a adaptação mínima para três principais tipos: turistas com deficiência visual, com deficiência auditiva e com deficiência motora.

Tais dados serão somados à experiência de Portugal na realização de mega eventos e como o país trabalhou com a questão da receção de potenciais turistas com deficiência ou mobilidade reduzida nessas ocasiões. Desta forma, em relação aos resultados esperados, espera-se analisar se a capital federal está adequada para receber essas pessoas em função da proximidade de mega eventos esportivos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas no qual poderá ocorrer um aumento de demanda desse público. Almeja-se também que sejam apontadas as principais falhas na adaptação dos atrativos turísticos, hotéis, bares e restaurantes de Brasília, entendendo-se que os dados coletados permitirão também uma maior divulgação dos estabelecimentos que já são devidamente adaptados.

Objetivo geral:

Realizar um estudo nos principais atrativos turísticos, hotéis, bares e restaurantes de Brasília com o intuito de verificar o seu nível de adaptação para receber potenciais turistas com deficiência ou mobilidade reduzida em função da proximidade de mega eventos esportivos, tendo como base as experiências de Portugal.

Objetivos específicos:

a) Apresentar, por meio de levantamento bibliográfico, as peculiaridades das PDMR (conceito, tipos de limitações, legislação nacional e internacional, turismo acessível, entre outros);

META 1: Fazer levantamento bibliográfico sobre turismo (conceitos, peculiaridades, tipos, turismo esportivo, impacto de mega eventos, entre outros);

META 2: Realizar levantamento sobre a legislação nacional e internacional que trata dos direitos das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida;

META 3: Realizar levantamento sobre turismo acessível (conceito, público-alvo, sociedade inclusiva, entre outros);

b) Mapear os principais atrativos turísticos, hotéis, bares e restaurantes de Brasília;

META 4: Identificar os principais turísticos, hotéis, bares e restaurantes localizados em Brasília.

c) Verificar até que ponto tais estabelecimentos estão adaptados para receber as PDMR – atendimento e capacitação dos atendentes bem como adaptação físico arquitetónica/design universal - em relação aos grupos: pessoas com deficiência visual, pessoas com deficiência auditiva e pessoas com deficiência físico-motora, tendo como pano de fundo as experiências de Portugal.

META 5: Elaborar roteiro de entrevista e de observação para pesquisa in loco;

META 6: Identificar como o ambiente físico dos estabelecimentos pesquisados apresentam-se adequados ou não para receber turistas com deficiência ou mobilidade reduzida - em relação aos grupos: pessoas com deficiência visual, pessoas com deficiência auditiva e pessoas com deficiência físico-motora.

META 7: Diagnosticar como está o treinamento dos profissionais desses estabelecimentos na prestação de serviço para as PDMR;

META 8: Definir níveis de adaptação aos estabelecimentos investigados;

META 9: Analisar os dados obtidos a luz das experiências já realizadas em Portugal em sediar mega eventos para o atendimento a esse público

META 10: Divulgar os resultados do estudo por meio de publicações em periódicos científicos e/ou congressos;

META 11: Encaminhar os resultados obtidos para as empresas investigadas e para os órgãos responsáveis de Brasília.

 

Principais Resultados esperados:

Primeiramente, constata-se que o público-alvo ao qual se refere este estudo, as PDMR, apesar da preocupação atual voltada para a sua inclusão na sociedade, ainda se apresenta como um público à margem da mesma, carecendo de estudos direcionados a esse grupo. Desta forma, esta proposta terá o intuito de realizar um diagnóstico sobre como a capital federal está preparada para receber as PDMR. Este tema mostra-se oportuno ser investigado no momento presente, quando em breve o Brasil sediará eventos de porte mundial como o Campeonato Mundial de Futebol FIFA 2014 e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016.

Assim, este estudo não só contribuirá na pesquisa e reflexão teórica sobre o turismo no país, como também ampliará o mercado do turismo na medida em que incluirá no cenário turístico, o segmento de turismo acessível, além de melhorar para os turistas nacionais e internacionais - a imagem do país. Trabalhar com destinos, produtos e serviços, para todos, significa, acima de tudo, inclusão social.

Com os mencionados eventos desportivos, o Brasil será configurado como o país de destino-recetor de turistas nacionais e internacionais - e enquanto tal contará com certas obrigações. Dentre essas obrigações está acessibilidade, infraestrutura, comunicação, transporte, dentre outras. É verdade que a possibilidade de receber milhares de turistas pode significar a abertura de novos segmentos do mercado; todavia, também se deve atentar para a imagem que esses turistas terão do Brasil, dimensão fundamental no retorno ao país. Desta forma, as diferentes cidades-sedes deverão ser espaços marcados para a acessibilidade dos segmentos turísticos em discussão.

Em relação à temática foco dessa proposta, constata-se ainda a existência de pouca literatura que tenha como foco as PDMR; ainda mais, visualizando-as como grupo de consumo dos produtos turísticos. Assim, espera-se que o desenvolvimento dessa proposta traga contribuições à escassa literatura sobre este público, relativamente aos vários temas críticos para o estudo do Turismo na atualidade. Tais como: inclusão social dos PDMR, Turismo para Todos, a sua visualização como clientes potenciais dos serviços turísticos, além de outros. Vale lembrar que, acrescida à divulgação dos dados coletados por meio de artigos e participação em congressos internacionais, buscar-se-á ainda uma futura publicação de um livro em parceria com Portugal, país que já foi sede de mega eventos, o que também incrementará a divulgação dos dados coletados com esta pesquisa e permitirá a elaboração de mais uma obra sobre a temática.